Ideologia (Trans)partidária

Ideologia (Trans)partidária

22 de outubro de 2018 5 Por

Por Lívia Botelho Félix

 

Já foi dito que a Psicologia deve ter a (trans)formação social como principal referencial.
Seu compromisso é ético-político, pessoal…
E o papel do psicólogo (e/ou do governante) qual deve ser nesse mundão onde o povo já tá é cansado de sofrer?
É de visibilizar o (in)visível e escutar o (in)escutável,
É de mobilizar a população a ajudar o nosso povão,
É de servir à maioria, pra minoria deixar de ser,
É ouvir a voz do povão, porque o povão é quem tem razão…
Porque a “voz do povo é a voz de Deus!” – diz o ditado popular.
E “Deus é brasileiro”
Mas também é ateu.
Vixi…
Agora o negócio esquentou.
Que conversa é essa de misturar Psicologia com religião?
Isso é tabu, o povo vai em cima…
Igual carniça embaixo de urubu.
Calma, minha gente!
Espera eu terminar de falar…
O que a gente tá tentando defender é que a Psicologia tem que ser laica.
Assim como o Estado.
E o que é mesmo que isso quer dizer?
Laico é “do povo”, meu povo… e não “do clero”
Isso é lero-lero…
Foi-se o tempo em que o papa tinha essa função de governar.
Hoje ele tá aqui é pra orientar e conduzir, iluminar e instruir.
Foi-se o tempo em que a monarquia mandava e o povo obedecia.
Isso hoje é conversa pra boi dormir.
É…
lenga-la-lenga, la-ducha, la-da-uê.
la-ducha-de-papa, la-ducha-la-dauê,
laducha-la-de-mama, la-ducha-la-dauê,
la-ducha-la-de-go-go, la-ducha-la-dauê..
Tá vendo, só?
Até as crianças já ensinaram isso pra gente… Deixa eu traduzir:
As águas (ou as pedras) do rei já correram (ou já rolaram)…
As águas (ou pedras) da rainha já correram (ou já rolaram)…
Já se foram (go-go).
Não vamos cair nessa de novo e eleger um cidadão que não quer devolver ao povão
O ouro, a prata, a terra e a mata que aqui já existiam quando os índios resistiam…
Não vamos cair nessa de novo e eleger um cidadão que não quer libertar o povo das diversas formas de escravidão.
Tá bom já, não?!
E pra isso o que que todo mundo tem que fazer?
Voltar a se unir!
Porque a união faz a força OU senão, a Força faz a União.
Então chegou a hora da gente escolher se vai querer a letra maiúscula ou a minúscula.
Não vai ter jeito e sabem por quê?
Nessa vida, tudo é uma questão de escolha.
Ou a gente escolhe ou é escolhido.
Porque não escolher é também uma escolha.
Não tem pra onde correr.
– “Olha a cobra!”
É mentira não.
E a gente tem que respeitar… toda e qualquer escolha.
Isso é democra… Inshallah!
Só que às vezes na trilha, quando já anoiteceu e tá tudo sombrio.
A gente se vê numa encruzilhada, numa bifurcação…
E fica perdido.
Sem saber se curva à direita ou à esquerda.
Se vira à esquerda ou à direita.
Ou se permanece parado no mesmo lugar… esperando o dia amanhecer.
Ou algum guia pra nos conduzir e iluminar nossa decisão.
E se eu que vos falo indicasse que o melhor caminho para endireitar este país é o da esquerda?
Vocês acreditariam em mim? (Será que eu tenho essa moral toda?)
Se não tiver, tudo bem… Tá massa.
Mas é meu dever informar, com base no Código de Ética e no CFP que…
É dever da Psicologia (e do Estado) politizar o cidadão, desvelando mecanismos de exclusão e opressão.
É dever da Psicologia (e do Estado) combater a miséria, que insiste em permanecer.
É dever da Psicologia (e do Estado) garantir aos humanos seus direitos, para que eles saibam bem viver e votar direito.
É dever da Psicologia (e do Estado) garantir às coletividades meios legais
De se armar e se amar,
De se mobilizar e se expressar,
De bem querer e querer bem,
De se exprimir e existir,
E não de se silenciar e se anular,
Se defender e esconder,
Se omitir e coibir.
E depois dessa conversa toda vocês já aprenderam qual é a arma existente mais potente?
Os livros e as palavras, minha gente.
O falar e o soletrar, o dizer e o escrever, o saber e o aprender, o “reconhecer para mudar”.
Em ordem alfabética é A-E-I-
OU…
Estará fadada a cristalizar modos generalistas de se subjetivar.
Estará fadada a permanecer no mesmo lugar onde está.
Estará fadada a não cumprir a missão de transformar.
E pra isso o que que todo mundo tem que fazer?
Voltar a estudar!
Vo(l)tar pel(a) pesquisa(r)
Votar pelo Educar.
Com E maiúsculo, não minúsculo.
E é só o psicólogo (social) que pode e deve fazer isso, turma?
Só que não!
Isso é dever de todo mundo.
É direito do psicólogo abordar o ser humano de todas as formas que lhes representar.
Sob múltiplos prismas.
À luz de diferentes perspectivas.
Porque ser humano é tipo cubo mágico, tem que quebrar muito a cabeça pra montar, isto é, ajudar a se encontrar.
Se assim este quiser.
Ou então seguir colorido e desmontado, se este assim preferir.
É direito do ser humano e da Psicologia se diversificar.
Porque a diversidade é o caminho para a gente superar as persistentes adversidades que insistem em nos assolar.
Porque a diversidade é o caminho para a gente resistir e reexistir, ter e ser mais, muito mais.
Mas é também dever da Psicologia se reinventar quando precisar, subtrair para somar, dividir para multiplicar…
Chegou a hora de cada psicologia sair do seu quadrado-ado-ado…
Da sua caixinha-inha-inha
E brincar de fazer uma cirandazinha…
Darmos as mãos, em comunhão.
Abraçarmos as diferenças, dá licença.
Reconhecermos nossa diversidade, de verdade.
E nos unirmos em favor da liberdade, por favor.
Oxi, custa nada…
É só a gente aprender um jeito melhor de escutar o que o outro tem a dizer…
E de falar o que o outro precisa entender.
Porque psicólogo foi feito pra isso mesmo.
Ouvir, dialogar e mediar…
Do individual ao societal.
Do cultural ao individual.
Do plural ao singular.
Do particular ao plural.
Um entrecruzamento.
Interdisciplinar.
Dialetizar.
Pra não dicomotizar…
Pra não isolar…
Pra não reduzir a complexidade do ser à simplicidade do existir.
Existir até que é fácil, difícil mesmo é ser.
E ser feliz, então?
Pense…
E ter condições dignas de existência nesse mundo miseravi?
Armaria…
É projeto de vida e de Saúde Coletiva.
É “trem” de doido e de Saúde mental.
É uma questão Filosófica, e Ética.
É assunto de Ciências Humanas e Sociais… Biológicas e Ambientais…
É um verdadeiro trabalho de Artista, de tecelão…
É artesanal, é demorado… Mas dá pra fazer.
Só é preciso paciência.
Resistência.
E persistência.
Uma hora a gente chega lá…
E pra encerrar essa que vos fala vem lembrar que…
A universidade que nós habitamos é pública
Não é do clero, lero lero
Não é do empresário, aquele rico
É do povo, aquele pobre
Povo brasileiro
À espera de um milagre
À espera de emancipação
À espera de libertação
Salários, bolsas e livros
Muros, paredes e portas
Carteiras, pincéis e lousas
Até as flores e os sabores
Tudo tirado do bolso desse povo
E daí eu (me) e (vos) pergunto
Qual o nosso dever nesse cenário de crise política?
Porque eu vou te contar, mininu…
Falar o que o Estado deve ou não fazer até que é fácil.
Difícil é ir lá e fazer.
Os desafios ainda são muitos.
O Estado precisa é do compromisso da Sociedade Civil.
Precisa de TODOS nós, todos vocês.
Não basta votar e reclamar depois não, visse?
Múltiplos nós e caminhos existem…
Entre a fiscalização e o controle popular
Entre a participação social e o movimento social
Entre a construção de instituições não-governamentais e outras obras sociais
Enfim… a escolha ainda é livre.
O direito ao voto e à liberdade de expressão também…
Um viva à liberdade!
Um viva à formação de coletivos…

UNI-VOS!

 

PS.: E agora eu peço imenso e intenso perdão se a alguém incomodei.
Minhas intenções são as melhores possíveis… Acreditem.
Mas se alguém desarrumado está
Posso humildemente indicar
Uma sessão de cromoterapia para os ânimos acalmar…

Porque desta vez a Revolução vai vibrar na sintonia do Amor, não da Dor.
Porque o afeto é revolucionário.
Lágrimas de sangue não iremos derramar, se assim pudermos evitar…
Em tempos de desmedido lamentar, o verde pode nos equilibrar e consolar.
O Verde harmoniza qualquer ambiente, traz boas energias…
Significa esperança, liberdade, saúde e vitalidade.
Simboliza a natureza viva, o dinheiro, a juventude, o crescimento e a renovação.

 

GRATIDÃO!